quinta-feira, 1 de dezembro de 2016

Poetisa egípcia é condenada a prisão por "insultar o islã"

A escritora egípcia Fatima Naut, condenada a seis meses de prisão


Reuters
Fatima Naut foi condenada por um tribunal egípcio a seis meses de prisão por usar sua conta no Facebook para chamar de "massacre" a festa muçulmana do sacrifício, o "Eid al-Adha".

Em janeiro, Fatima tinha sido condenada a três anos de prisão por "insultar a religião", mas um tribunal de apelação diminui a pena para seis meses.

O Código Penal egípcio prevê o crime de insulto contra as três religiões monoteístas (judaísmo, cristianismo e islã), com pena de seis meses e cinco anos de prisão.

Apesar disso, apenas pessoas responsáveis por publicações e comentários críticos ao islã são perseguidas e punidas pelas autoridades do país. Ataques contra o cristianismo e, principalmente, contra o judaísmo são extremamente comuns e completamente ignorados.

domingo, 27 de novembro de 2016

Palestinos homenageiam Fidel Castro



De acordo com a WAFA, a agência oficial de notícias da Autoridade Palestina, o "presidente" Mahmoud Abbas ordenou que sejam feitas manifestações públicas de luto hoje para homenagear Fidel Castro. 

Castro é chamado de "líder histórico" e "ex-presidente" que teve "uma vida dedicada à defesa de sua pátria e seu país, de seu povo, da verdade e justiça no mundo."
الرئيس يصدر تعليماته بتنكيس الأعلام حدادا على رحيل فيديل كاسترو
رام الله 27-11-2016 وفا- أصدر رئيس دولة فلسطين محمود عباس، تعليماته بتنكيس الأعلام اليوم الأحد، حدادا على رحيل الزعيم التاريخي، رئيس كوبا السابق فيديل كاسترو، الذي وافته المنية بعد حياة قضاها مدافعا عن قضايا وطنه وشعبه، وعن قضايا الحق والعدل في العالم.


O grupo terrorista Frente Popular para a Libertação da Palestina emitiu um comunicado em inglês sobre a morte do ditador:
A Frente Popular para a Libertação da Palestina envia suas condolências ao povo cubano, ao povo palestino e aos movimentos revolucionários do mundo pela perda do ex-primeiro-ministro e presidente de Cuba e do histórico líder revolucionário internacional, o camarada Fidel Castro Ruz, Na sexta-feira, 25 de novembro de 2016.
O compromisso revolucionário internacionalista de Castro de combater o imperialismo e o capitalismo - manifestado na vitória revolucionária contra o imperialismo norte-americano e seu fantoche Batista na revolução cubana de 1959 - permaneceu junto aos povos oprimidos do mundo em seu confronto com o imperialismo, o sionismo, o racismo e o capitalismo. Ao longo de sua vida, Fidel foi um defensor e um exemplo de luta revolucionária na América Latina, na Venezuela, Bolívia, Nicarágua, El Salvador e em todo o continente. De Angola à África do Sul, Palestina a Moçambique, Bolívia a El Salvador, o legado de Castro de solidariedade e luta revolucionária internacional continua a servir de exemplo na prática que transcende as fronteiras para a revolução, a democracia e o socialismo.

O Fatah também homenageou o cubano postando uma foto dele com Yasser Arafat:


sexta-feira, 25 de novembro de 2016

Polícia afirma que mais de 60% dos incêndios foram causados por terroristas; líderes muçulmanos e celebridades árabes comemoram


O comissário de polícia Roni Alsheikh confirmou para repórteres que mais de 60% dos incêndios que já desabrigaram dezenas de milhares de pessoas têm "motivações nacionalistas", eufemismo das autoridades israelenses para se referir ao terrorismo palestino. 

Enquanto isso, árabes palestinos,  lideranças religiosas muçulmanas e celebridades árabes continuam comemorando os ataques como "castigo divino". 

Parte 1: Árabes-palestinos incendeiam cidades e florestas e agradecem Alá por punir os judeus


Tradução: "Pela primeira vez eu sinto alegria por causa de um incêndio. Bom dia para o fogo que atingiu Israel. Um fogo que se tornou perfume no céu da Palestina."


O poeta saudita Heyal Alshimri twittou: "Alá, por favor faça com que esse fogo [também] vá para os países xiítas"


Um dos poucos árabes a se solidarizar com as vítimas foi duramente atacado por outros árabes:



Hamad Almazroui twittou: "Alá, por favor controle um pouco o fogo, especialmente para salvar idosos e crianças" 

Entre as dezenas de ataques que recebeu por este tweet está este, escrito pelo usuário @mohammadalduba3: 
"Pessoas como esta são responsáveis pela terrível situação na qual os árabes se encontram. Aqueles que covardemente se dizem muçulmanos mas por dentro são mais sujos que os judeus."

Árabes-palestinos incendeiam cidades e florestas e agradecem Alá por punir os judeus

Aproveitando-se da seca incomum para esta época do ano, o Hamas conclamou árabes-israelenses a cometerem incêndios criminosos pelo paísSão mais de 230 focos de incêndio em Israel, que arde em chamas. Universidades e escolas foram evacuadas, deixando mais de 70 mil desabrigados apenas em Haifa, cidade de população mista e governada por sucessivos governos liberais/de esquerda, que se tem como modelo de coexistência entre árabes e judeus
O fogo se alastra rapidamente devido a maior seca dos últimos tempos. Ventos fortes também têm contribuído bastante para a piora da situação e o fogo já se aproxima  de diversas cidades e aldeias. A região norte é a mais atingida.



O líder religioso muçulmano do Kuwait, Mishary Rashid Alafasy, escreveu em seu twitter:
"Tudo de bom/Boa sorte para os incêndios #Israel_em_chamas :)" 

Em outros tweets ele agradece a Alá pelos incêndios criminosos.
Alafasy tem quase 12 milhões de seguidores.



#Israelestáemchamas
[Eu] parabenizo os netos de macacos e porcos (como o Corão se refer aos judeus) 
# محرقة سعيدة
# שואה שמחה
# Glücklicher Holocaust
# Happy holocaust

("#Feliz Holocausto" em árabe, hebraico, alemão e inglês)

Já o site filfan.com, em sua área destinada a cobertura de famosos, traz uma matéria com celebridades árabes comemorando os ataques e postando citações do Corão. Alguns exemplos:


A cantora Ahlam al-Shamsi -- com mais de 7 milhões de seguidores no Twitter -- twittou sua alegria pelos incêndios, junto com emojis de dança




O compositor Amir Teima diz desejar "sucesso ao fogo" e termina o tweet com a hashtag "#boas_notícias"

A atriz egípcia Sherihan postou versos do Corão e depois glorificou Alá

O verso (capítulo 5, al-Maeda, verso 64) diz:


وَقَالَتِ الْيَهُودُ يَدُ اللّهِ مَغْلُولَةٌ غُلَّتْ أَيْدِيهِمْ وَلُعِنُواْ بِمَا قَالُواْ بَلْ يَدَاهُ مَبْسُوطَتَانِ يُنفِقُ كَيْفَ يَشَاء وَلَيَزِيدَنَّ كَثِيراً مِّنْهُم مَّا أُنزِلَ إِلَيْكَ مِن رَّبِّكَ طُغْيَانًا وَكُفْرًا وَأَلْقَيْنَا بَيْنَهُمُ الْعَدَاوَةَ وَالْبَغْضَاء إِلَى يَوْمِ الْقِيَامَةِ كُلَّمَا أَوْقَدُواْ نَارًا لِّلْحَرْبِ أَطْفَأَهَا اللّهُ وَيَسْعَوْنَ فِي الأَرْضِ فَسَادًا وَاللّهُ لاَ يُحِبُّ الْمُفْسِدِينَ  

E os judeus dizem: 'A mão de Alá está amarrada.' Suas próprias mãos serão amarradas e serão amaldiçoados pelo que dizem. Suas mão estão abertas! Ele prodigaliza as suas graças como Lhe apraz. E, sem dúvida, o que te foi revelado por teu Senhor exacerbará a transgressão e a incredulidade de muitos deles. Porém, infundimo-lhes a inimizade e o rancor até ao Dia da Ressurreição. Toda vez que acenderem o fogo da guerra, Alá os extinguirá. Percorrem a terra, corrompendo-a; porém, Alá não aprecia os corruptores.

quarta-feira, 23 de novembro de 2016

Líbano inicia construção de muro em volta de campo de refugiados palestinos -- com aprovação do Hamas e das lideranças palestinas


De acordo com o site libanês almodon.com, o governo libanês iniciou a construção do que chamou de 'muro de segurança' -- e que o site classifica como "muro da vergonha" -- em volta de um campo de refugiados palestinos.

Tradução: "Autoridades libanesas iniciam construção de muro de isolamento ao redor de Ain al-Hilweh, lar de 75 mil palestinos"


O "campo de refugiados" de Ain al-Hilweh é na verdade um bairro com população de aproximadamente 70 mil pessoas. Praticamente todos os habitantes do local, apesar de chamados de palestinos, nasceram em território libanês.

Em declaração feita ao jornal Daily Star, Abu Ahmad Faysal, um membro do Hamas, afirmou que a obra terá ainda 4 torres e que "a construção do muro tem como meta diminuir os confrontos entre os habitantes [do campo] e o exército [libanês]".

A matéria publicada no Daily Star prossegue:
De acordo com a declaração, o chefe das Forças de Segurança palestinas no Líbano, o general Sobhi Abu Arab, confirmou que o povo de Ain al-Hilweh estaria apoiando o Exército enquanto este inicia as obras. 
Após as reuniões, os líderes deixaram claro que não havia objeções a construção do muro. 
O membro da frente democrática Fouad Othman salientou que a cooperação estava em curso em todos os aspectos da construção. "Não há objeção palestina no que diz respeito ao muro", disse ele ao Daily Star